Como treinar o psicológico para corridas de longa distância


Atenção aos sinais do corpo
Quanto mais o corredor conhecer seu próprio corpo, mais preparado ele estará no dia da prova. Correr ouvindo música ou conversando com amigos é ótimo para tirar o foco da distância, mas reserve uns dias do seu treino para correr livre de distrações. “É importante prestar atenção aos sinais que seu corpo dá em relação à musculatura, sistema cardiovascular e respiração”, aconselha Eduardo Cillo, doutor em psicologia experimental. Esse trabalho de auto-observação vai ajudar o atleta a perceber se está forçando muito ou se pode acelerar mais.

Entenda quem é o seu adversário
É preciso estar ciente de que todo atleta entra em uma prova para correr contra ele mesmo. Tire o foco dos corredores ao seu lado e concentre-se em finalizar o trajeto e superar suas próprias marcas. Em corridas de longa distância, tentar acompanhar um adversário pode tanto servir de estímulo, como também ser algo desastroso, colocando-o sob risco de quebrar durante a prova.

 

Fique longe dos pensamentos negativos
O corredor Flávio Oliveira, de 36 anos, sentiu na pele a importância de se manter positivo durante um desafio. “Participei no ano passado da Maratona Uphill, uma prova dificílima recheada de subidas intermináveis que testa todos os seus limites, principalmente o psicológico”, afirma. “Se eu não tivesse conseguido manter a autoconfiança, com certeza teria desistido”, relembra o atleta, que precisou lidar com fortes dores nas panturrilhas durante quase metade do percurso. “Essa prova me trouxe uma lição de vida muito importante, a de que precisamos sempre acreditar em nós mesmos. Se não der hoje, amanhã é um novo dia”.

 

Coloque o seu psicológico à prova
“Experimente vivenciar situações adversas durante o período de treinamento para as corridas de longa distância, lembrando sempre de aumentar as dificuldades gradativamente. Na medida em que as supera, o atleta vai conquistando mais confiança”, diz o psicólogo. Ainda assim, se surgir um imprevisto durante a prova, não deixe que isso tire o seu foco. “Houve uma mudança no ano passado que acrescentou 2 km ao trajeto, o que significa muito para quem já está cansado e com dor. Foi difícil não deixar que isso afetasse minha cabeça e colocasse tudo a perder”, diz o atleta.

 

Estude a prova
Converse com corredores que já tenham concluído o desafio que você se propôs a encarar. Quanto mais informações você tiver, mas confiança você vai adquirir. “Um dia antes da Uphill, eu subi toda a serra de carro e, apesar de ter ficado assustado com o percurso, acho que foi muito bom ver de perto o que me aguardava no dia seguinte”, diz Flávio.

 

Crie metas intermediárias
Seja qual for a distância da prova, o ideal é não pensar nela toda, mas sim em partes. “Dividir uma meia-maratona em três etapas, por exemplo, ajudará a manter o atleta motivado. Bem melhor pensar que você já completou um terço da prova do que apenas 7 km”, aconselha Eduardo.

 

Fonte: ativo.com