Comprometimento é fundamental para quem deseja perder peso


O processo de perda de peso é mais complexo do que parece, pois envolve não só a reeducação alimentar, mas também a reeducação emocional.

Afinal, todo mundo sabe que para poder emagrecer é necessário gastar mais calorias do que consumir. Alcançar tal meta, entretanto, não é nada simples e alguns fatores são fundamentais para que se alcance o sucesso.

Um passo importante para quem quer começar essa empreitada é procurar profissionais habilitados, como uma nutricionista, um psicólogo e um educador físico.

Não faltam no mercado, nas revistas e na internet sugestões e produtos que prometem o emagrecimento fácil, mas sabemos que eles não são efetivos e podem levar ao efeito sanfona ou ao surgimento de transtornos alimentares.

Quando realmente decidimos perder peso de forma adequada, além dos profissionais citados, é necessário mudar comportamentos e isso implica em comprometimento com o desejo de mudança e consigo mesmo.

Muitos são os fatores que influenciam o real desejo de perder peso ou mantê-lo, alguns até inconscientes.

Esse processo depende de organização e disciplina, pois uma das orientações prescritas pelos nutricionistas é alimentar-se a cada três horas, uma medida simples e coerente, mas que pouquíssimos cumprem. Muitos são os fatores que influenciam o real desejo de perder peso ou mantê-lo, alguns até inconscientes.

Quando assumimos a responsabilidade de perder peso, devemos ter total consciência de que uma orientação adequada resolve apenas parte do problema. A outra é buscar meios de seguir essas diretrizes e isso demanda organização e disciplina.

Por outro lado, defrontamo-nos com pessoas que não seguem essas orientações e nem sempre por falta de organização. Algumas delas acreditam que adotando outras estratégias, como comer menos, por exemplo, também alcançarão o objetivo de perder peso.

Esse último grupo segue a máxima do “tudo ou nada”, ora comendo em excesso, ora não comendo nada. Nenhuma dessas opções é adequada e isso nos leva a pensar novamente no porquê ser tão difícil se comprometer consigo mesmo. Sabotagem? Quais são as mudanças que irão ocorrer caso eu emagreça? Como vou me sentir sendo admirada? Vou conseguir manter o peso magro? E se eu tentar e fracassar? Os amigos e a família irão me cobrar? Sentimento de impotência?

Podemos enumerar vários aspectos, porém cada um tem sua história de vida e a relação entre a comida e as emoções variam de acordo com suas crenças, vivências e formas de lidar com a tristeza, alegria e ansiedade.

Desta forma, poder passar por um processo de autoconhecimento vai auxiliar no desenvolvimento de uma melhor percepção dos sentimentos, promovendo a aquisição de ferramentas internas e externas que irão possibilitar lidar com as emoções e a comida de forma assertiva.

A psicologia é um aliado nesse trabalho, pois eleva a autoestima, ampliando, assim, as condições de se realizar mudanças na vida, incluindo a organização e a disciplina que toda reeducação alimentar necessita.

É fundamental que cada um posso se perguntar o que o impede de alcançar os objetivos, permitindo-se olhar si próprio.

 

Fonte: https://www.minhavida.com.br/